Uso de software pirata cresce no mundo, mas tem queda no Brasil

Alexandra Marques
Por Alexandra Marques junho 24, 2014 11:48

Uso de software pirata cresce no mundo, mas tem queda no Brasil

Um estudo global divulgado nesta terça-feira (24) indica que o uso de software pirata em computadores pessoais cresceu em termos mundiais, mas apresentou queda no Brasil. Segundo levantamento realizado pela BSA (Software Alliance) e consultoria IDC, a porcentagem global foi de 38% em 2007 para 43% em 2013 – no mesmo período, os valores no país caíram de 59% para 50% (redução de 15,3%).

Se consideradas somente as duas últimas edições dessa pesquisa, feita a cada dois anos, a variação é menor. Globalmente, o uso de programas não licenciados foi de 42% em 2011 para 43% no ano passado. Localmente, o valor caiu de 53% para 50%.

Porcentagem de software não licenciado
  • Global 

    2013: 43%. 2011: 42%. 2009: 43%. 2007: 38%.

  • Brasil 

    2013: 50%. 2011: 53%. 2009: 56%. 2007: 59%.

  • EUA 

    2013: 18%. 2011: 19%. 2009: 20%. 2007: 20%.

  • China 

    2013: 74%. 2011: 77%. 2009: 79%. 2007: 82%.

Fonte: IDC e BSA

O estudo não especifica os motivos que levaram à queda de pirataria no mercado brasileiro, mas diz que a BSA vem realizando ações regionais de conscientização, nos locais onde o uso do software não licenciado é comum. A pesquisa realizada em 34 mercados entrevistou 22 mil usuários domésticos e comerciais, além de 2.000 gerentes de TI (Tecnologia da Informação). Segundo as organizações responsáveis, não há margem de erro para o levantamento.

“Apesar de ainda ser alta, essa taxa sinaliza uma queda inédita no índice de uso de software não licenciado no Brasil, que pela primeira vez foi reduzido à metade. O país, além de ter a taxa mais baixa em relação às nações do Bric [grupo formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul] e países da América Latina, foi o que apresentou mais regularidade na queda desse índice”, diz o estudo.

O Brasil aparece em quarto lugar em um ranking com as “20 primeiras economias em valor comercial de software não licenciado para PC”. Isso porque esses programas usados ilegalmente no país somam US$ 2,85 milhões (50% do mercado). EUA lideram a lista (US$ 9,74 milhões; 18%), seguidos por China (US$ 8,77 milhões; 74%), Índia (US$ 2,9 milhões; 60%) e Brasil.

O total mundial de perdas com a pirataria de software, considerando todos os mercados pesquisados, fica em US$ 62,45 milhões.

A pesquisa da IDC e BSA considera uso de software não licenciado (como sistema operacional e pacotes de segurança) instalado em desktops e notebooks. Não entram para o levantamento programas utilizados em tablets e smartphones.

Fonte: UOL

Alexandra Marques
Por Alexandra Marques junho 24, 2014 11:48
Escreva um comentário

1 Comentário

  1. wallyvianna julho 1, 16:15

    Os motivos são simples: evolução da tecnologia, que permite uso de software online; uso constante de versões antigas de software não mais suportado (Windows XP, MS Office 2003 e 2007, p.ex.) e provavelmente não contabilizado nesse estudo; uso de software livre, uso maciço de software em dispositivos móveis (como cita o final da pesquisa), entre outros.
    O que esse estudo não informa é ONDE o software pirata ainda continua a ser utilizado, e o que levou as pessoas que não usam dispositivos móveis a migrarem de software pirata para não-pirata(?).

    Responder esse comentário
Ver comentários

Escreva um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.
Campos requeridos estão marcados*

COMENTÁRIOS RECENTES

  • Todi

    Todi

    Ótimo obrigado.

    Ver artigo
  • Victor

    Victor

    Fiz os treinamentos de Excel Básico e Intermediário. Ambos são excelentes e proporcionam um ótimo domínio da ferramenta para que…

    Ver artigo
  • PL

    PL

    Ajudou pacas, muito prático. vlw.

    Ver artigo

AGENDA

ENCONTRE-NOS NO FACEBOOK

CADASTRE-SE PARA NOVIDADES